29 abril 2008

A aliança!

Aliança algema divina
A mais bela das prisões,
Uma prisão pequenina
Que encerra dois corações.

Elo de ouro como esperança
De horas risonhas e calmas,
Feliz de quem na aliança
Encontra a aliança das almas.


Rodinha frágil e delicada
Que mais parece um brinquedo,
Compromisso de fidelidade
Que admiramos ver no dedo.

Mimo entre os apaixonados
Emoção que não tem preço,
Sublimada entre juras
Confiante num começo.


Na velhice lembra o enredo
Dos sonhos da mocidade,
Depois duas num só dedo,
Uma é vida... a outra é saudade.


(Fred Costa)

12 comentários:

gaivota disse...

minha querida, ao ler "fred costa", até senti aqui um baque...
um grande amigo meu com esse nome, já partiu, há anos................
está muito lindo o teu poema
uma semana muito boa para ti
no amor de Deus e
mil beijinhos

Multiolhares disse...

As alianças sacramento de amor
Bj

Graça disse...

Bom dia Anita, não conhecia o poema , achei interessante a abordagem ao tema das alianças.." feliz de quem na aliança encontra a aliança das almas." ... bonito !!
Bjinhos doces

Viviana disse...

Olá, Anita!

Que poema lindo!
Acho que é o primeiro que encontro sofre "as alianças"...

É lindo, muito lindo o Amor... quando é vivido da forma que o Senhor ensinou!

O seu blogue cada vez está mail lindo!

Tenha um bom dia sob a benção e protecção do bom Pai
Um abraço
viviana

Andreia do Flautim disse...

O meu miguel também me ofereceu=)

A Flôr disse...

Ana minha doce irmã e amiga,

Felizes daqueles que vivem uma aliança assim... tão bonita, tão abençoada...

E Graças a Deus, sei que Tu e o Ricardo vivem essa aliança... aliança abençoada pelo Senhor.... o segredo do sucesso, é esse mesmo... Jesus fazer parte dessa aliança.....

Tenham uma Terça-Feira muito agradável, os quatro Dores.....

Beijinhos ao Alfredo e família.

Flor com amizade até à eternidade

:D

Marta Ribeiro disse...

Hoje em dia essas alianças duram muito pouco

beijinho

Ana Maria disse...

Ao ler, refleti muito.
Pois fui casada 30anos, tenho 3filhos e 6netos.
Usei aliança todo esse tempo, mas num determinado tempo, tudo acabou.
Sofri muito, hoje dei volta por cima; tem uns 18anos que estou sozinha. Mas , ainda quero ter o prazer de uzar de novo uma aliança com todo amor.
Fiquei feliz em receber vc no meu blog, agradeço a Deus por conseguir amigos. A Viviana é um amor de pessoa. Tem me dado muita força.
Meu outro blog.:
http://tappetti.bogspot.com/
O cantinho *Amor Fraternal* é aconchegante. Virei mais vezes.bjs.

Teresa Calcao disse...

Minha querida amiga,
Um belo poema que descreve o Amor em todas as suas facetas.....desde o principio ate ao fim!!!!!
Desculpa a ausencia,mas ando muito atarefada como deves calcular...e o tempo foge...foge....
Beijinho doce

Anónimo disse...

Este poema foi escrito por Manoel Bastos Tigre. Que baixaria de plágio é essa?

Guimarães disse...

Prezada Anita,
conheço esta poesia sobre as alianças, já a muito tempo, e para mim o autor é Bastos Tigre.
dá uma conferida...
Guimarães

Regina Porto disse...

Olá,

Quero informar que esse poema é de autoria de Bastos Tigre (1882-1957) Ao bem da correção e por achar que a blogueira esqueceu um trecho, colo abaixo o poema completo:

Aliança, algema divina,
a mais doce das prisões;
uma prisão pequenina
que encerra dois corações.

Modesta jóia, em verdade,
porém que vale um tesouro:
é toda a felicidade
dentro de um círculo de ouro.

Na mão direita figura
como penhor de afeição;
mas é completa a ventura
se muda para a outra mão.

Rodinha frágil e fina
que mais parece um brinquedo;
com ela, qualquer menina
prende um rapaz pelo dedo.

Elo solto da corrente
que Deus forjou de amor puro
e que, através do presente,
liga o passado ao futuro.

Elo de ouro! És a esperança
de horas risonhas e calmas.
Felizes dos que, na aliança,
acham a aliança das almas.

Na velhice, lembra o enredo
dos sonhos da mocidade;
depois... duas num só dedo:
uma vive... outra é saudade...

Autor: Bastos Tigre (1882 - 1957)

prémios e miminhos ganhos