29 dezembro 2009

Adeus 2009




Amigas o Ano de 2009 está quase, quase a dizer-nos adeus e o Novo Ano de 2010 está quase, quase a dar-nos as Boas Vindas.





Que o ano que irá começar traga a todos muita paz, saúde, amor, compreensão, bençãos maravilhosas de Deus, são os meus votos para todos quanto passam aqui por este cantinho.




Brindemos todos juntos ao Ano de 2010.

Que este ano seja cheio de vitórias e conquistas e que o nosso Deus possa guiar diariamente os nosso passos.

Que Ele seja o nosso farol que nos ilumina o caminho que cada um de nós deve percorrer.



A todos vós um maravilhoso Ano Novo de 2010.

Muitos beijinhos do coração

Anita

27 dezembro 2009

Celebração



Queridos /as amigos/as hoje estou de volta, pois estive com a casa cheia de família.

O Natal é isso mesmo, a celebração da família. A festa do nascimento de Jesus.

Espero que o vosso Natal tenha corrido bem. O nosso foi óptimo com a graça de Deus.



O ano de 2009 aproxima-se do fim, aproveitemos estes dias que ainda faltam para o seu final, para reflectirmos em tudo o que nele se passou.

As coisas boas, menos boas ou até mesmo más.

Peçamos a Deus que nos continue a guiar e a abençoar no próximo ano de 2010.

Que Ele seja o nosso guia diário.

Que Ele habite nos nossos corações.

Obrigado amigos /as pelas vossas visitas ao longo deste ano aqui ao meu cantinho.

Beijinhos do coração para todos vós.

23 dezembro 2009

Oração de Natal!





Senhor, nesta Noite Santa,
depositamos diante de Tua manjedoura
todos os sonhos, todas as lágrimas e
esperanças contidas em nossos corações.

Pedimos por aqueles que choram
sem ter quem lhes enxugue uma lágrima.
Por aqueles que gemem
sem ter quem escute seu clamor.

Suplicamos por aqueles que Te buscam
sem saber ao certo onde Te encontrar.

Para tantos que gritam paz,
quando nada mais podem gritar.

Abençoa, Jesus Menino,
cada pessoa do planeta Terra,
colocando em seu coração um pouco
da luz eterna que vieste acender
na noite escura de nossa fé.

Fica connosco, Senhor!

Assim seja!

Feliz Natal!

21 dezembro 2009

Natal



A chuva cai… o vento sopra… o frio insinua-se por entre as muitas camadas de roupa…
Em alguns países as ruas ostentam orgulhosas, gélidos mantos de neve…
Falo e as minhas palavras morrem em vapor…
Dezembro já está aí …

As ruas estão vestidas de festa… cantam melodias de sempre… e invariavelmente a mesma mistura de pessoas de sempre e de nunca, carregadas de sacos cheios de presentes e de sonhos…
O Natal já não tarda…

Adoro esta época do ano… está frio lá fora, mas o calor humano que se sente por entre a multidão é maior que em qualquer outra altura do ano…
as ruas estão vivas, os sorrisos dançam na cara de transeuntes que,
embora não se conheçam de lado nenhum, se sentem mais próximos uns dos outros…
As montras das lojas vestem-se de gala… qual de entre elas a mais tentadora…
Os pinheiros luzem e as suas cores escoam por entre janelas entreabertas
pintalgando a noite escura… acordando memórias de outros tempos quando a nossa inocência de crianças ainda acreditava no Pai Natal que descia a chaminé a coberto das horas de sono dos meninos do mundo…

A alegria é quase palpável… o entusiasmo de encontrar a prenda ideal para alguém especial… o olhar brilhante de alguém que desembrulhou
o sonho de um ano de espera… as gargalhadas das crianças… o poder de milhões de sonhos que se renovam a cada ano que passa… a possibilidade de vivê-lo… de poder partilhá-lo com amigos, com família, contigo e até com estranhos…
O poder de fechar os olhos e querer acreditar que o mundo ainda tem remédio…


Para mim é esse o significado do Natal… talvez por isso seja uma das minhas épocas preferidas do ano… o completar de mais um ciclo em esperança…





17 dezembro 2009

Este mundo virtual



Entrei apressado e com muita fome no restaurante. Escolhi uma mesa bem afastada do movimento, pois queria aproveitar os poucos minutos que dispunha naquele dia atribulado, para comer e consertar alguns bugs de programação de um sistema que estava desenvolvendo, além de planejar minha viagem de férias que há tempos não sei o que isso é.

Pedi um filé de salmão com alcaparras na manteiga, uma salada e um suco de laranja, afinal de contas fome é fome, mas regime é regime não é?

Abri meu notebook e levei um susto com aquela voz baixinha atrás de mim:

- Tio, dá um trocado?

- Não tenho, menino.

- Só uma moedinha para comprar um pão.

- Está bem, compro-te um pão se é isso que queres.

Para variar, minha caixa de entrada está lotada de e-mails.
Fico distraído vendo poesias, as formatações lindas, dando risadas com as piadas malucas. Ah! Essa musica leva-me a Londres e às boas lembranças de tempos idos.

- Tio, pede para colocar margarina e queijo também.

Então percebo que o menino tinha ficado ali.

- Ok. Vou pedir, mas depois deixa-me trabalhar, estou muito ocupado, tá?

Chega a minha refeição e junto com ela meu constrangimento. Faço o pedido do menino, e o empregado pergunta-me se quero que mande o garoto embora. Meus resquícios de consciência, me impedem de dizer. Digo que está tudo bem. Deixe-o ficar. Que traga o pão e, mais uma refeição decente para ele. Então ele sentou-se à minha frente e perguntou:

- Tio o que está fazendo?

- Estou lendo uns e-mails.

- O que são e-mails?

- São mensagens electrónicas mandadas por pessoas via Internet (sabia que ele não ia entender nada, mas, a título de livrar-me de maiores questionários desses):

É como se fosse uma carta, só que via Internet.

- Tio você tem Internet?

- Tenho sim, é essencial ao mundo de hoje.

- O que é Internet ?

- É um local no computador, onde podemos ver e ouvir muitas coisas, notícias, músicas, conhecer pessoas, ler, escrever, sonhar, trabalhar, aprender. Tem de tudo no mundo virtual.

- E o que é virtual?

Resolvo dar uma explicação simplificada, novamente na certeza que ele pouco vai entender e vai-me libertar para comer minha refeição, sem culpas.

- Virtual é um local que imaginamos, algo que não podemos pegar, tocar. É lá que criamos um monte de coisas que gostaríamos de fazer. Criamos nossas fantasias, transformamos o mundo em quase como queríamos que fosse.

- Fixe isso. Gostei!

- Mocinho, entendeste o que é virtual?

- Sim, também vivo nesse mundo virtual.

- Tu tens computador?

- Não, mas meu mundo também é desse jeito...Virtual.
Minha mãe fica todo dia fora, só chega muito tarde, quase não a vejo, eu fico cuidando do meu irmão pequeno que vive chorando de fome e eu dou água para ele pensar que é sopa, minha irmã mais velha sai todo dia, diz que vai vender o corpo, mas não entendo pois ela sempre volta com o corpo, meu pai está na cadeia há muito tempo, mas sempre imagino nossa família toda junta em casa, muita comida, muitos brinquedos de natal e eu indo ao colégio para virar médico um dia.
Isso é virtual não é tio???


Fechei meu notebook, não antes que as lágrimas caíssem sobre o teclado. Esperei que o menino terminasse de literalmente "devorar" o prato dele, paguei a conta, e dei o troco para o garoto, que me retribuiu com um dos mais belos e sinceros sorrisos que já recebi na vida e com um "Brigado tio você é fixe!".

Ali, naquele instante, tive a maior prova do virtualismo insensato em que vivemos todos os dias, enquanto a realidade cruel rodeia de verdade e fazemos de conta que não percebemos!



" Se é História, não importa.O que importa é a mensagem”!
Que esta mensagem nos faça reflectir nesta época em que estamos. O Natal!
Saibamos dar mais amor ao nosso próximo!






16 dezembro 2009

Sejamos felizes!


Um pequeno caracol que vivia perto do oceano notou com inveja a grande e bonita concha em que a lagosta vivia.

- "Que maravilhoso palácio a lagosta carrega em suas costas!
Eu desejaria viver em seu lugar," lamentou o pequeno caracol.
"Oh, como os meus amigos me admirariam nesta concha!"

De repente, algo aconteceu.
O invejoso caracol viu a lagosta deixar a sua concha para desenvolver-se em outra, maior.
Ao ver a concha da lagosta, vazia e abandonada na praia, o caracol pensou:

-"Agora o meu desejo será realizado."

E ele proclamou a todos os seus amigos que agora iria morar num majestoso palácio.
Os pássaros e os animais então assistiram ao caracol soltar-se da sua pequena concha e orgulhosamente rastejar para a concha da lagosta.

Ele soprou, bufou, tornou a soprar até perder o fôlego esforçando-se para adaptar-se à nova concha.
De nada adiantou porque era muito pequeno para ajustar-se dentro da concha da lagosta.
Ele só parou de tentar quando se viu completamente exausto.

Naquela noite ele morreu porque a concha grande e vazia estava muito fria.
Um velho e sábio corvo disse então, para os corvos mais jovens:

-"Prestem atenção! é este o resultado da inveja.
O que vocês têm é o bastante.
Sejam vocês mesmos e livrem-se de problemas.
É melhor ser um caracol em sua pequena concha confortável do que ser um pequeno caracol numa concha grande e congelar até à morte."


Será que já vivemos situação semelhante?
Já nos vimos inconformados, murmurando pelos cantos, tão somente porque um amigo conseguiu aquilo que tanto queríamos para nós?


Esforçar-nos, com ânimo e determinação pela realização de sonhos é saudável e gratificante.
Fazer comparações com outras pessoas buscando ser igual ou melhor que elas torna-nos pequenos e insignificantes.

Que saibamos valorizar o que somos e o que temos e agradecer a Deus por tornar o que temos suficiente para a nossa felicidade.




14 dezembro 2009

Um conto de Natal

Hoje deixarei aqui no meu cantinho um simples conto de Natal.
Das recordações dos meus Natais de criança, guardo na memória contos muito simples mas com muitas lições, que o meu avô contava na noite de Natal, após o jantar e enquanto esperavamos pela meia noite.
Mais tarde fiz isso também aos meus filhos, mas sei que esta tradição se está a perder e por isso colocarei aqui um pequeno conto, mas que também tem uma lição para cada um de nós e quem sabe se alguém que por aqui passa não a poderá contar neste Natal.



Ele era um homem bem sucedido naquela aldeia da Finlândia.
Alfaiate, sustentava com seu trabalho, a esposa e os filhos, até ao dia em que uma grande epidemia matou todos os seus amores.
Ficou só e por essa razão deixou de trabalhar. Dentro em breve ninguém mais o reconhecia, andando pelas ruas, maltrapilho e triste. Era um homem amargurado. Sem rumo na vida.



Era época de Natal.
Embora os cânticos do Natal se fizessem ouvir em todas as esquinas, ele continuava mergulhado em sua tristeza. De repente viu-se defronte a uma grande montra, cheia de brinquedos. Um garoto pobre olhava com desesperança e desilusão as coisas bonitas e vistosas.




O homem pareceu ouvir em sua intimidade o que pensava o garoto:
” eu nunca saberei o que é ter brinquedos tão bonitos assim”.
O antigo alfaiate começou a chorar, pela primeira vez em muito tempo, não por si mesmo mas pelo menino. Pensou em quantas crianças como aquela, existiriam em sua aldeia, pobres que não teriam nenhum brinquedo naquele Natal.


Sem pensar por onde andava, ele foi seguindo por caminhos desconhecidos. Então, viu-se diante de um barraco onde as pessoas da aldeia jogavam lixo e bugigangas. Coisas que não queriam mais.
Entrou, sem bem saber porquê. Mas parecia que alguém lhe comandava os gestos. E agora, dizia-lhe, bem dentro do seu coração:
"Veja! Procure entre as bugigangas o que possa ser consertado. Leve para casa e conserte. Pinte. Presenteie. Faça uma criança feliz."
Ele começou a remexer os entulhos. Havia bonecas, carrinhos, e maravilha! Encontrou até um caixote de ferramentas.
Estavam enferrujadas mas ele as lixou, afiou e ficaram como novas.
Numa das divisões do caixote encontrou um jogo de agulhas de costura e linhas de muitas cores.
Ele pôs-se logo a trabalhar.




Nos dias seguintes, recolheu brinquedos quebrados por toda a parte. Discretamente, perguntou e informou-se onde morava cada criança carente da cidade. Trabalhou arduamente até altas horas da noite.
Até os seus olhos doerem, sua visão ficar embaçada e ele adormecer na cadeira. Ao despontar o dia, acordava e continuava o seu trabalho de amor.
Na noite de Natal ele saiu com vários embrulhos e foi andando, deixando em cada porta das casas das crianças da sua lista, um brinquedo.
Uma boneca, um carrinho, um cavalo de pau…
A noite estava fria e ventava muito.
Várias vezes ele foi e voltou, até distribuir todos os sete grandes sacos que conseguira recolher e arrumar. Quando o dia despertou, os sorrisos se multiplicaram nas casas pobres, ante a surpresa e o encanto com os brinquedos.






Que o verdadeiro espírito de Natal reine nos nossos corações.

11 dezembro 2009

Natal





Mais de dois mil anos nos separam daquela noite santa em que a humanidade foi marcada para sempre: o próprio Deus se fazia homem e vinha morar entre nós, como um de nós.

A noite fria da pequena Belém será talvez a mais rememorada de toda a história: uma gruta, uma criança, seus pais, bois, burros, pastores, anjos, estrelas...

A singeleza daqueles primeiros momentos de vida de Jesus Cristo nos confronta diante de tantas preocupações que a humanidade criou ao longo dos anos para comemorar o nascimento do Messias.

Hoje precisamos pensar na ceia, nos presentes, nos amigos ocultos, no Pai Natal, nos sinos, nas árvores de Natal, enfim, em tanta coisa que esquecemos que estamos apenas comemorando mais um aniversário Daquele que nasceu tão simples.

Seria propício cantar um Parabéns a Você, mas muitos ririam de nós ou creditariam a ideia a alguns “copos” a mais.

Seria propício um momento de oração, a única forma de comunicação humana com o Senhor, mas alguns iriam incomodar-se em ter que pensar nessas coisas no meio de uma festa.

O Menino da manjedoura, passa a ser apenas uma figura a mais no presépio, esquecidos que somos, de que algum dia Ele foi de carne e osso e habitou entre nós e para todos nós, desde sempre, trouxe a salvação.

Possamos neste Natal conseguir um pequeno momento para que possamos desejar um feliz aniversário a Jesus Cristo.

Olhe ao seu redor e reconheça em cada um o Jesus que nele vive e dê o que lhe é necessário: um abraço, um sorriso, uma doce compreensão, um sincero agradecimento, enfim, dê o que você daria ao próprio Jesus e sinta-se feliz por ter comemorado com alegria o aniversário de um grande amigo.





09 dezembro 2009

Prenda da amiga Sandra!!!

Bodas de prata!!!






Queridos e amados amigos hoje é um dia maravilhoso para mim e para o meu marido.
Pois é verdade celebramos 25 anos de casados.

BODAS DE PRATA!!!


Ainda parece que foi ontem...

Como eu tinha escrito no post anterior, estive ausente estes 5 dias pois o meu marido e os meus filhos fizeram-me a surpresa de andarmos por terras nortenhas para comemorarmos esta data tão especial para nós.


O tempo é verdade que não ajudou pois esteve muito frio, muita chuva, vendaval mesmo, mas o amor que nos une não nos abalou em nada.
Agradeço desde já aos meus filhos e meu querido marido por estes maravilhosos dias, mas sobretudo agradeço a Deus por estes 25 anos de casamento.
Deus nos uniu e até que a morte nos leve estaremos unidos por este laço que é o casamento.


Agradeço a Deus pelo maravilhoso e carinhoso marido que me deu, pelos tesouros, bençãos que me deu que foram os filhos, Marta e Paulo, pela saúde, pelas tempestades que nos fizeram crescer espiritualmente e como seres humanos, pelo lar, pelas finanças, pelos alimentos, enfim por tudo
o que Ele nos colocou à nossa disposição sem muitas vezes o merecermos. Obrigado Senhor por tudo.


Peço-Te que nos continues a guiar, a amar e a abençoar como tens feito até aqui.



Por tudo isto amigos quero erguer convosco uma taça de champanhe e fazer votos de que venham mais 25 anos para podermos celebrar as bodas de ouro.


A todos os amigos que se juntam a nós neste dia tão especial o meu muito obrigado pelo carinho e pelo amor que nos têm.


Bem hajam!!!

B
eijos.



05 dezembro 2009


Queridos amigos não estranhem a minha ausência agora nos próximos dias, irei estar fora com o meu marido e os meus filhos.
Por agora não vos posso dizer muito mais. Depois no dia 9 de Dezembro quem quiser "matar" a curiosidade passe aqui neste cantinho, pois há novidades.
Deixo-vos muitos beijinhos.
Fiquem bem. Fiquem com Deus.

03 dezembro 2009

As lágrimas



Existem pessoas que afirmam terem uma grande dificuldade para chorar. Algumas, com certa inveja, comentam sobre a facilidade de outras em demonstrar sentimentos através das lágrimas.

Há quem acredite que as lágrimas são próprias da feminilidade, que atestam fraqueza, fragilidade.

Li recentemente a história de um pai que não conseguia chorar e foi surpreendido pela pergunta de seu filho de 5 anos:

- Pai, porque nunca vi tu chorares?

Que poderia ele responder?

Talvez fossem seus anos de raiva, tristeza e até alegria engolidas, que o impedissem de se expressar com lágrimas, ou talvez porque fora educado com os conceitos de que o homem não deve chorar.

A verdade é que aquele pai sofria de problemas de depressão, com os quais lutava há tempos e somente respondeu:

- Filho, lágrimas fazem bem para meninos e meninas. Fico feliz que tu possas chorar sempre que estás triste.

Os pais, às vezes, têm dificuldade para mostrar como sentem. Talvez eu possa melhorar algum dia.

Nos dias que se seguiram, o pai orou intensamente a Deus rogando por alguma coisa que o fizesse sentir-se melhor.

Aproximava-se o Natal com todo o seu encanto e magia.
O director da escola perguntou se Patrick, o garoto de 5 anos, poderia cantar uma estrofe de uma canção de Natal, num culto na igreja.

Naturalmente, os pais encheram-se de entusiasmo.

O filho tinha pendores para a música.
Estudava piano desde os 4 anos de idade. Gostava de cantar.

À medida que os dias iam sendo marcados no calendário, dando ciência da proximidade do evento, pais e filho começaram a ficar assustados.

O menino começou a temer não conseguir e o pai, principalmente o pai compareceu à cerimónia religiosa na véspera de Natal, com expectativas limitadas.

Colocou-se no lugar do filho e imaginou que jamais ele enfrentaria um microfone e uma igreja com centenas de pessoas.

O garoto, vestido de branco, aproximou-se do microfone e começou a entoar as notas uma a uma.
Eram versos lindos que enchiam o espaço e os corações.

O pai contemplou o menino e sentiu-se invadir por uma onda de ternura.
O que seu filho cantava tinha sabor de eternidade, uma beleza sem par.

Parecia-lhe que um anjo se corporificara ali, perante a congregação, para brindar a todos com um presente especial de Natal.

Então, grossas lágrimas surgiram nos olhos daquele pai.

A canção terminou e ele buscou o filho, ainda nos corredores.

Ajoelhou-se, para ficar do tamanho dele e penetrou com o seu o olhar azul do filho.

- Patrick, lembraste quando me perguntaste por que nunca me tinhas visto chorar?

O menino afirmou com a cabeça.

- Bem, estou chorando agora. Teu canto foi tão lindo que me fez chorar.

O garoto sorriu, feliz, e atirou-se nos braços do pai, dizendo-lhe ao ouvido enquanto o estreitava fortemente:

- Às vezes, a vida é tão bonita que a gente tem de chorar.

(da revista Selecções do Rider's Digest)


Por temperamento nos retraímos em muitas circunstâncias, quando deveríamos exteriorizar os sentimentos que nos invadem.

Todos detemos a capacidade dos melhores sentimentos de amor.
Expressá-los, permitir que outros compartilhem das nossas emoções, das alegrias ou das dores que nos invadam o íntimo, é também exercício de humildade e fraternidade.

Quando nos sentirmos tocar nas fibras mais delicadas de nosso ser, pela música, um gesto de carinho, uma conquista dos nossos pequenos, permitamo-nos a visita das lágrimas doces, expressão do amor que alimenta outros amores, sem vergonha, porque ninguém evolui realmente sem o cultivo dos sentimentos mais edificantes.


02 dezembro 2009

Urgente!






URGENTE
É uma palavra com que convivemos dia a dia em nossa vida agitada, e da qual perdemos todo o significado real de “prioridade”.

URGENTE
É a maneira pequena de viver neste mundo, porque no dia em que partirmos deixamos pendentes as coisas que verdadeiramente foram URGENTES.

URGENTE
É que você pare um momento na sua agitada vida e se pergunte: Que significado tem tudo isto que faço?

URGENTE
É que você seja mais humano e mais irmão.

URGENTE
É que saiba valorizar o tempo que se tem com uma criança.

URGENTE
É que veja o nascer do sol, sinta seu calor e agradeça a Deus por tão grandioso presente.

URGENTE
É que olhe a sua família, seus filhos, sua esposa, seu marido e a todos que a rodeiam e valorize tão grandioso tesouro.

URGENTE
É que diga às pessoas que lhe são próximas o quanto as ama.

URGENTE
É que você saiba que é filho de Deus, e se dê conta, de que Ele o ama e quer vê-lo sorrindo, feliz e cheio de vida!

URGENTE
É que você não deixe a vida passar como um sopro e que quando estiver velho, não olhe para trás como quem quer voltar e percebe que já não há tempo, porque tudo que fez foi URGENTE, que foi um grande empresário, que encheu sua agenda de “urgências, compromissos e projectos”.
”Mas se esqueceu de VIVER”.




28 novembro 2009

Como estou a dirigir a minha vida?




Na traseira de muitos camiões de transportes, vejo com frequência o autocolante: "Como estou dirigindo? Comunique ao telefone..."


Naturalmente, as transportadoras querem controlar os seus motoristas, impedindo que cometam imprudências e causem danos à mercadoria transportada ou fatalidades contra outros viajantes da estrada.


Quando leio esses dizeres, imagino como seria se em nós também fosse colocado um letreiro perguntando: "Como estou dirigindo a minha vida?"


Se assim fosse, quantas reclamações sobre nós o Senhor nosso Deus, receberia?


Assim como os motoristas devem seguir rigorosamente as leis de trânsito, nós também devemos seguir exactamente os ensinamentos de Jesus Cristo.
Só então teremos a paz de Deus.




Vale a pena reflectir sobre isto!



27 novembro 2009

Um dia de cada vez




Um dia é um tesouro só por si.
Hoje tenho a promessa de que o Senhor abrirá o Seu bom tesouro para mim.
Seguirei adiante, firme nessa promessa.
Deus promete e Deus cumpre. Confio Nele. Descanso Nele.
Ajuda-me a ficar perto de Ti, a saber e a sentir a Tua proximidade, a perceber que estás tão perto como o ar que eu respiro, que me envolve e me sustenta a vida, um dia de cada vez.

26 novembro 2009

Familia agradecida



A tensão provocada pela responsabilidade de formar uma família pode por vezes parecer-nos esmagadora. Podemos dar connosco cheios de ressentimentos e autocompaixão frente ao tempo e energia que nos são exigidos.


Quando tal acontecer, recordemo-nos das bençãos recebidas de Deus... recordemos, sobretudo, o dom de amar e ser amado.


Tomando consciência da gratuidade que enche a nossa vida - alimentos, vestuário, abrigo, companhia dos outros - as nossas frustrações darão lugar à gratidão e à alegria.


Sejamos uma grande família agradecida.



25 novembro 2009

Tempestades


Deus está nas tempestades da minha vida.

Às vezes eu pensava que a tempestade era só uma travessia, um processo. Não sabia que o objectivo de Deus era guardar-me no meio da tormenta, revelar-se como o Consolador e o Deus Todo-Poderoso; manter-me no lugar onde a mão certeira do escultor não pára de trabalhar a pedra, batendo, cortando, quebrando, polindo.

Não sabia que Deus me queria exactamente no centro da tormenta, porque só ali eu podia aprender as lições de vida que Ele tinha para me ensinar. Então aprendi a louvar apesar das circunstâncias, aprendi a olhar para além da escuridão imediata, aprendi a confiar no horizonte largo e limpo que Deus estende para mim depois da tempestade. E aprendi que nada é tão precioso como crer em Deus, confiar em Deus, amá-Lo, servi-Lo, esperar Nele e esperar por Ele, porque um dia destes Cristo virá, para a redenção total dos que nele depositam toda a sua fé.

Sem tempestades, eu não buscaria Deus com o mesmo empenho; não saberia apreciar o alívio e a alegria de O encontrar e de sentir a Sua mão a sustentar a minha vida em cada passo da jornada. A tempestade é para a alma o que a dor física é para o corpo: um sinal de alerta, uma chamada para despertar. Eu desperto em cada tempestade e, depois de ela passar, eu adormeço na segurança do abraço de Deus, meu Pai Calestial!

Obrigado Senhor pelas respostas às minhas orações. Obrigado meu Deus por estares sempre comigo!



22 novembro 2009

O caminho de Deus!



O caminho de Deus maravilha-me.
Sei que é perfeito. Sei que os Seus pensamentos e os Seus caminhos são incomparavelmente mais altos, mais sublimes e mais desejáveis do que tudo o que eu posso imaginar.

O caminho de Deus não se limita ao céu, como o caminho da águia. Nem sequer se limita ao Céu dos céus!
O caminho de Deus é abrangente como o próprio Deus.

O Senhor maravilha-me por ser poder total, sabedoria completa, amor perfeito.
O meu Senhor não é apenas imponente e majestoso como uma águia-real em seu voo desenvolto, ou como uma montanha impressionante, elevada e bela, com o seu cume coberto de neves eternas.

Deus não é apenas poderoso, como as águas poderosas de todos os oceanos juntos! Ele é o Senhor dos mares.
Ele é muito mais vasto, muito mais alto, muito mais profundo, muito mais poderoso, muito mais extraordinário!


Não posso compará-Lo a nada sem ficar com o sentimento de que apenas uma faceta minúscula foi espelhada.

Quando alguém entrega a sua vida a Deus, é a este Senhor que a sua vida fica entregue.
Deus Todo-Poderoso.
É nestas mãos que fica guardada para sempre.
Este é o meu Senhor. É este Deus glorioso que me chama a Si, que me salva e que me deixa tratá-Lo por Pai.

Ele é o Criador, o meu Criador, o único Criador de tudo o que foi chamado à vida e à existência.


Ele é o Pai que "deu o seu Filho unigénito para que todo aquele que Nele crer não se perca mas tenha a vida eterna" (João 3:16).

Ele é o Pai que me toma nas Suas asas e me leva num voo sublime para mais perto de Si.
Ele é o Deus que, na Sua paciência, suporta a serva fraca, que a alimenta, anima e impele para diante, para mais um dia, mais uma tarefa, mais um voo de fé.


20 novembro 2009

Ainda nos sabemos divertir?


Assumimos demasiadas vezes uma atitude de "bombeiros" frente à nossa família: não nos apercebemos do que está a acontecer, a menos que haja um "incêndio" a apagar!

É preciso tomar consciência e apreciar os momentos alegres e tranquilos passados em família.
Estando atentos aos momentos felizes e tranquilos vividos em família, acabaremos por ganhar confiança e poderemos analisar as inevitáveis situações de conflito na sua proporção relativa.



Ser um membro da família generoso obriga a fazer opções, em detrimento de muitas das coisas que nos exigem tempo e energia: carreira, amigos, compromissos voluntários.


É importante recordar que a acumulação de obrigações exteriores pode prejudicar a família.
Os empregos e as escolas sublinham a necessidade de estabelecer prioridades entre as tarefas a cumprir.



Que Deus nos ajude a arranjar tempo para apreciar a companhia uns dos outros.



Vamos aproveitar o fim de semana e "gastar" tempo com os nossos familiares e amigos.
Beijos!!!

18 novembro 2009

Faz crescer água na boca...




Queridas amigas, hoje trago-vos uma coisa muito diferente aqui no meu blog, mas um blog é isso mesmo é podermos colocar coisas que possam ajudar e agradar os outros e hoje é isso mesmo que acontece.
Trago-vos algumas receitas doces.
Agora que entrámos no Outono, época propícia a doces e compotas aqui vos deixo algumas e espero que possam experimentar.
Para algumas amigas esta já é uma repetição destas receitas mas como muitas amigas ainda me continuam a pedir para eu deixar aqui algumas sugestões, pois aqui ficam elas.
Sintam-se à vontade. A mesa está posta!!!






MARMELADA DE ABÓBORA:



500 gr. de abóbora; 500 gr. de maças reinetas; 500 gr. de açucar; sumo de 1 limão; canela a gosto.


Descasque a maçã e a abóbora e corte-as em pequenos cubos. Leve em lume alto, a maçã, a abóbora, o açucar e um pouco de água para conseguir obter uma mistura.
Quando começar a ferver, reduza o lume para brando e deixe cozer com a tampa, até que a maçã e a abóbora derreta e fique bastante espessa. Vá mexendo de vez em quando. Nesta altura junte o sumo de limão e canela a gosto.
Coloque num recipiente e quando arrefecer feche e conserve no frigorífico.
Bom apetite!





BOLO DE FIGOS


250 g de figos secos; 5 ovos; 300 g de açúcar; 200 g de margarina; 1 colher de chá de canela; 1 cálice de vinho do Porto ou outro licor a gosto; 2 dl de leite gordo; 380 g de farinha; manteiga e farinha para untar e polvilhar a forma



PREPARAÇÃO:
Pique os figos, previamente lavados e reserve. Bata os ovos com o açúcar, numa tigela, até obter uma gemada cremosa. Adicione a margarina derretida em banho-maria, a canela, o vinho do Porto e o leite. Bata de novo e acrescente gradualmente a farinha, misturando bem. Deite a massa numa forma, com orifício no centro, untada com margarina e polvilhe com farinha. Leve a cozer no forno, préviamente aquecido, durante 45 minutos. Deixe arrefecer antes de desenformar







GELEIA DE FIGOS



16 figos descascados em pedaços; 1 maça ácida ralada (tipo reineta); 2 chávenas de chá de açúcar.


Numa panela, misture todos os ingredientes e mexa para que o açúcar se dissolva. Cozinhe, mexendo de vez em quando, até obter consistência de geleia. É preciso paciência.
Depois de fria, coloque em frascos esterilizados.



Amigas queridas espero ter-vos deixado com água na boca e quem sabe não pode ser uma sugestão para o vosso fim de semana?

16 novembro 2009

Meu Velho...



Queridos amigos/as mais uma vez vou deixar-vos uma bela mensagem que por certo ao acabarem de a ler não vão ficar indiferentes, e certamente irão olhar os pais, os avós, ou outros idosos com outros olhos.
Uma amiga minha quando leu esta mensagem chamou-lhe um "terramoto" o tanto que a abalou...
Não me canso de falar sobre a FAMÍLIA, para alguns, algo que "está fora de moda".
Pois para mim é uma moda muito actual, instituida por um Mestre que tudo nos ensinou - Deus.
Foi Ele que criou a 1ª. familia e por isso um bem tão precioso. Uma benção.
Peço desculpa, mas vou continuar a insistir nesta área.
Ame-mo-nos uns aos outros como Deus nos amou. Amai o nosso próximo, e o nosso próximo são aqueles que nos rodeiam, familiares, amigos...




Meu amado filho/a


No dia em que este velho não for mais o mesmo, tem paciência e compreende-me.
Quando derramar comida sobre a minha camisa e me esquecer de como apertar os sapatos, tem paciência comigo e lembra-te das horas que passei ensinando- te a fazer as mesmas coisas.
Se, quando conversares comigo, eu repetir as mesmas histórias, que sabes de sobra como terminam, não me interrompas e escuta- me.
Quando eras pequeno, tive que te contar milhares de vezes a mesma história para te adormecer.
Quando estivermos juntos e, sem querer, fizer as minhas necessidades, não fiques com vergonha.
Compreende que não tenho culpa disso, pois já não as posso controlar. Pensa quantas vezes, pacientemente, mudei as tuas roupas para que estivesses sempre limpo e bem cheiroso.
Não me reproves se eu não quiser tomar banho.
Sê paciente comigo, e lembra-te das vezes que te persegui e dos mil pretextos que inventei para te convencer a tomares banho.
Quando me vires inútil e ignorante perante as novas tecnologias, que já não poderei entender, suplico-te que me dês o tempo necessário, e que não me agridas com um sorriso sarcástico.
Lembra-te de que fui eu quem te ensinou tantas coisas. Comer, vestir e enfrentar a vida tão bem como hoje o fazes. Isso é resultado do meu esforço, da minha perseverança.
Se, em algum momento, quando conversarmos, eu me esquecer do que estávamos a falar, tem paciência e ajuda-me a lembrar.
Talvez a única coisa importante para mim, nesse momento, seja o facto de te ver perto de mim, dando-me atenção, e não o que falávamos.
Se alguma vez eu não quiser comer, insiste com carinho. Assim como fiz contigo. Compreende, também, que, com o tempo, não terei dentes fortes e nem agilidade para engolir.
E quando as minhas pernas falharem, por estarem cansadas, e eu já não conseguir mais equilibrar- me...
... com ternura, dá-me tua mão para me apoiar, como eu fiz quando tu começaste a caminhar com as tuas perninhas tão frágeis.
Se me ouvires dizer que não quero mais viver, não te aborreças comigo. Algum dia entenderás que isto não tem a ver com teu carinho nem com o quanto te amo.
Compreende que é difícil ver a vida abandonando, aos poucos, o meu corpo; e que é duro admitir que já não tenho mais o vigor que tinha para correr a teu lado ou para tomar-te nos meus braços, como dantes.
Sempre quis o melhor para ti e sempre me esforcei para que o teu mundo fosse mais confortável, mais belo e mais florido.
Quando me for, construirei, para ti, outra rota em outro tempo, mas estarei sempre contigo e zelando por ti.
Não te sintas triste ou impotente por me veres de abalada.
Não me olhes com dó.
Dá-me apenas o teu coração, compreende-me e apoia-me, como fiz quando começaste a viver. Isso me dará forças e muita coragem.
Da mesma maneira que te acompanhei no início da tua jornada, peço-te que me acompanhes para terminar a minha.
Trata-me com amor e paciência, e eu te devolverei sorrisos e gratidão, com o imenso amor que sempre tive por ti.
Atenciosamente,
Teu Velho.




Vale bem a pena reflectirmos sobre isto.

13 novembro 2009

Não Espere...


Não espere um sorriso, para ser gentil...

Não espere ser amado, para amar...

Não espere ficar sozinho, para reconhecer o valor de um amigo...

Não espere o melhor emprego, para começar a trabalhar...

Não espere ter muito, para compartilhar um pouco...

Não espere a queda, para se lembrar do conselho...

Não espere a dor, para acreditar na oração...

Não espere ter tempo, para poder servir...

Não espere a mágoa do outro, para pedir perdão...

... nem espere a separação para se reconciliar.






Não espere...
... porque você não sabe quanto tempo tem.




BOM FIM DE SEMANA PARA TODOS!

11 novembro 2009

Velas...





AS QUATRO VELAS QUEIMAVAM LENTAMENTE...
O AMBIENTE ESTAVA TÃO SILENCIOSO QUE ERA POSSÍVEL OUVIR O DIÁLOGO QUE MANTINHAM

A PRIMEIRA DISSE:

- EU SOU A PAZ!
APESAR DA MINHA LUZ AS PESSOAS NÃO CONSEGUEM MANTER-ME ACESSA.
ACHO QUE VOU APAGAR.

E DIMINUINDO SEU FOGO BEM RÁPIDO, APAGOU-SE TOTALMENTE.

DISSE A SEGUNDA:

- EU CHAMO-ME !
INFELIZMENTE SOU MUITO SUPÉRFLUA.
AS PESSOAS NÃO QUEREM SABER DE DEUS.
NÃO FAZ NENHUM SENTIDO PERMANECER ACESSA.

AO TERMINAR DE FALAR, UM VENTO PASSOU LEVEMENTE SOBRE ELA E A APAGOU.

RÁPIDA E TRISTE A TERCEIRA VELA MANIFESTOU-SE:

- EU SOU O AMOR!
NÃO TENHO FORÇAS PARA CONTINUAR ACESSA.
AS PESSOAS DEIXAM-ME DE LADO E NÃO PERCEBEM O PESO DISTO.
ESQUECEM-SE ATÉ DAQUELES QUE ESTÃO TÃO PERTO E AS AMAM.

E, SEM ESPERAR, APAGOU-SE.

DE REPENTE... ENTROU UMA CRIANÇA E VIU AS TRÊS VELAS APAGADAS.

- O QUE É ISTO?
VOCÊS DEVIAM QUEIMAR-SE E ESTAREM ACESSAS ATÉ AO FIM.
E, DIZENDO ISTO, COMEÇOU A CHORAR.

ENTÃO A QUARTA VELA FALOU:

- NÃO TENHAS MEDO MENINO, ENQUANTO EU ESTIVER QUEIMANDO PODEMOS ACENDER AS OUTRAS VELAS, EU SOU A ESPERANÇA!

O MENINO COM OS OLHOS BRILHANTES, PEGOU A VELA QUE RESTAVA... E ACENDEU TODAS AS OUTRAS.

QUE A VELA DA ESPERANÇA NUNCA SE APAGUE DENTRO DE NÓS!


Se um dia perceberes que a tua vela da esperança está querendo apagar-se, pede a Deus que Ele fique atento e ajude a mantê-la acessa...

09 novembro 2009

Cicatrizes



Se é verdade que a cada dia basta sua carga, por que então teimamos em carregar para o dia seguinte nossas mágoas e dores?
Há ainda os que carregam para a semana seguinte, o mês seguinte e anos seguintes...


Nos apegamos ao sofrimento, ao ressentimento, como nos apegamos a essas coisinhas que guardamos nas nossas gavetas, sabendo inúteis, mas sem coragem para jogar fora.
Vivemos com o lixo da existência, quando tudo seria mais claro e límpido com o coração renovado.



As marcas e cicatrizes ficam para nos lembrar da vida, do que fomos, do que fizemos e do que devemos evitar.
Não inventaram ainda uma cirurgia plástica da alma, onde podem tirar todas as nossas vivências e nos deixar como novos.
Ainda bem...


Não devemos nos esquecer do nosso passado, de onde viemos, do que fizemos, dos caminhos que percorremos.
Não podemos nos esquecer de nossas vitórias, nossas quedas e nossas lutas.


Menos ainda das pessoas que encontramos, essas que direcionaram nossas vidas, muitas vezes sem saber.
O que não podemos é carregar dia-a-dia, com teimosia, o ódio, o rancor, as mágoas, o sentimento de derrota e o ressentimento.


Acredite ou não, mas perdoar a quem nos feriu dói mais na pessoa do que o ódio que podemos sentir durante toda uma vida.
As mágoas envelhecidas transparecem no nosso rosto e nos nossos actos e moldam nossa existência.
Precisamos, com muita coragem e ousadia, abrir a gaveta do nosso coração e dizer:


Eu não preciso mais disso, isso aqui não me traz nenhum benefício.


E quando só ficarem a lembrança das alegrias, do bem que nos fizeram, das rosas secas, mas carregadas de amor, mais espaço haverá para novas experiências, novos encontros, seremos mais leves, mais fáceis de ser carregados, mesmo por aqueles que já nos amam.


Não é a expressão do rosto que mostra o que vai no coração?
De coração aberto e limpo nos tornamos mais bonitos e atraentes e as coisas boas começam a acontecer.
Luz atrai, beleza atrai. Tente a experiência!!!

Sua vida é única e você é único/a.
Sua vida merece que, a cada dia, você dê uma chance para que ela seja plena e feliz.

prémios e miminhos ganhos